A propósito do filme “Quem quer ser milionário”, de Danny Boyle

5
(5)

“Quem quer ser milionário”, filme realizado por Danny Boyle, retrata a história de dois irmãos, Jamal e Salim, duas crianças que ficam órfãs após um conflito entre muçulmanos e hindus. Jamal pertence a uma das classes mais baixas do seu país e mesmo vivendo num bairro de lata consegue responder às perguntas que lhe são feitas num programa de televisão apenas com informação que adquiriu durante os seus anos vida.

Entretanto, Jamal e Salim conhecem Latika, pela qual Jamal se apaixona. Os “três mosqueteiros”, como se designam a si mesmos, crescem juntos, sempre em fuga e acabam separados e rejeitados por todos à sua volta. Jamal passa grande parte da sua juventude à procura de Latika. Aos 18 anos, decide participar no famoso programa internacional «Quem quer ser milionário?» e acerta em todas as perguntas, sem estudos e sem qualquer tipo de conhecimentos, recordando apenas episódios da sua vida.

Crianças órfãs na Índia

Todos os dias, milhares de crianças na Índia tornam-se vítimas de gangues que as obrigam a mendigar dinheiro e presentes de turistas simpáticos durante toda a sua vida. As crianças ficam cegas, têm braços e pernas amputados e muitas vezes são drogadas para serem mais facilmente controladas.

Atualmente, existem 20 milhões de crianças que são órfãs ou sem-abrigo nas ruas da Índia. Muitas dessas crianças ficam órfãs por várias razões, uma delas são os conflitos religiosos entre os muçulmanos e hindus, outras são abandonadas para se casar e noutras situações os pais morrem por falta de condições, na maioria das vezes em bairros de lata.

Na indústria têxtil, algumas das grandes marcas como a Gucci utilizam mão de obra infantil entre os 9 e os 12 anos. Em Karnataka está localizado um dos principais centros de confeção têxtil da Índia, com fábricas a produzir para grandes marcas internacionais como H&M, Zara, Puma ou Nike.

O salário mínimo mensal ronda os 50 euros.

Muitas das crianças são injetadas com hormonas de crescimento e exploradas sexualmente, outras são raptadas e vendidas a bordeis. Muitas das crianças são também casadas à força, uma coisa ilegal na Índia mas ainda assim uma situação considerada pelas suas famílias como uma obrigação. O país com mais casamentos infantis é a Índia, com cerca de 4% das crianças casadas.

O que são as castas na Índia e como funcionam? 

Sendo um dos sistemas mais antigos de estruturação social do mundo, o sistema de castas divide a população hindu com base nos seus trabalhos e nos seus deveres. Este sistema hierárquico divide a populações em 4 grupos: Brahmins; Kshatriyas; Vaishyas e Shudas.

Para além destes grupos, ainda existem os Dalits ou Párias, que não são sequer considerados membros da sociedade. Os Brahmins, sendo a classe mais alta da sociedade, engloba todos os altos membros da religião hindu. De seguida, vêm os Kshatriya, do qual fazem parte os comerciantes e mercadores, os Sudras do qual fazem parte os camponeses, artesãos e qualquer pessoa que faça trabalhos manuais.

Os Párias ou Dalits, conhecidos na Índia como impuros ou intocáveis, são “fantasmas” a nível politico e social.

Conflitos entre Hindus e Muçulmanos

No dia 12 de março de 1993, uma bomba explodiu dentro de um veículo na cave da Bolsa de Bombaim, na Índia. Durante duas horas, 12 bombas foram detonadas em edifícios e espaços públicos ao redor da cidade, resultando na morte de 257 pessoas e uma centena de feridos.  Os ataques foram atribuídos a membros da comunidade muçulmana, que supostamente se queria vingar das mortes de muçulmanos nos confrontos religiosos ocorridos meses antes.

Os conflitos religiosos são mais um dos graves problemas que a sociedade indiana enfrenta.

Cerca de quinze milhões de pessoas tiveram de deixar as suas casas e mudar-se para as áreas de suas respetivas religiões. No meio desse êxodo, o ódio racial e a intolerância religiosa explodiram. Não há números exatos, mas as estimativas apontam para cerca de quinhentos mil a dois milhões de mortos.

Além dos conflitos religiosos e do terrorismo, desde o inico da história as mulheres são vistas como objetos, “o género mais fácil de dominar”.

A Índia é o país mais perigoso do mundo para as mulheres, ameaçadas pelo alto risco de sofrerem violência sexual e de serem forçadas ao trabalho escravo.

Dados oficiais apontam que os crimes contra as mulheres aumentaram 83% entre 2007 e 2016, quando se chegou à estimativa de quatro violações por hora no país. As indianas enfrentam, além da violência baseada no género e no abuso sexual, o analfabetismo, a pobreza e outras violações dos direitos humanos. De entre os 193 países das Nações Unidas mais perigosos para as mulheres, a Índia está entre os cinco primeiros.

Viver num bairro da lata em Bombaim 

A ação de “Quem quer ser milionário”  situa-se num bairro da lata, Juhu, e mostra-nos como é viver nesses locais, como são as suas condições de vida. Os seus habitantes vivem sem uma torneira ou uma sanita própria, o que lhes provoca várias doenças, dormem sem qualquer privacidade, não têm um abrigo seguro, perdem demasiado tempo à procura de água, não têm luz, nem saneamento e são explorados no trabalho.

Bombaim é a maior cidade da Índia e o principal e mais desenvolvido centro financeiro e comercial do país, sendo responsável por cerca de 6% do produto interno indiano.

São 65 milhões de habitantes, todos juntos a viver em barracas sem as mínimas condições.


Trabalho coletivo – Turma 9C

Gostaste desta publicação?

Deixa a tua votação! Ou se quiseres, comenta abaixo.

Média das votações 5 / 5. Vote count: 5

Ainda sem votos. Queres ser o primeiro?

Ai é?

Segue-nos nas Redes Sociais