Canteiro Pedagógico da Escola EB2,3 de Freixo candidata-se a prémio nacional de Hortas Escolares

5
(3)

#tanahorta

O “Canteiro Pedagógico” da Escola Sede do Agrupamento de Escolas de Freixo vai submeter a sua candidatura a um concurso nacional de hortas escolares promovido pela ASPEA (Associação Portuguesa de Educação Ambiental).

Trata-se de um concurso Nacional de Hortas Pedagógicas “Horta na Escola”, promovido no âmbito do projeto Tá na Horta, é dirigido à comunidade educativa, desde a educação pré-escolar, ensino básico e secundário até ao ensino superior, incluindo as escolas profissionais, e visa incentivar à criação, requalificação e dinamização de hortas escolares, incrementando, simultaneamente, o interesse pela alimentação saudável e pelo consumo sustentável.

A Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA) é uma Organização Não Governamental de Ambiente (ONGA) sem fins lucrativos, fundada em junho de 1990, que tem como objetivo principal o desenvolvimento da Educação Ambiental no ensino formal e não formal.

O projeto do “Canteiro Pedagógico” começou há 5 anos num pequeno espaço, que foi crescendo, e que apesar de não ser extenso alberga já alguma diversidade de espécies florais, hortícolas e arbustivas. Este projeto foi evoluindo, fazendo, hoje parte integrante de Hortofloricultura, uma área ministrada em Desenvolvimento Pessoal e Social aos alunos a fruir de medidas educativas adicionais no âmbito do DL 54/2018, de 6 de julho (artigo 10.º, 4, alínea f).

Hoje estes alunos desenvolvem o seu trabalho não só no espaço do canteiro, mas também na estufa, um investimento recente que contou com o apoio e a colaboração da Associação de Pais que enriqueceu, em muito, o trabalho dos nossos alunos. Sobre o trabalho desenvolvido neste âmbito, a professora Susana Marques, responsável pela Hortofloricultura, refere que tem tido um feed-back muito positivo por parte dos seus alunos e de outros colegas e alunos com quem articula atividades. Salienta ainda o envolvimento da comunidade educativa, e de outras entidades, como as Lagoas de Bertiandos e a Junta de Freguesia que colaboram no projeto.

A professora refere ainda: ”O nosso canteiro e a nossa estufa são pequenos comparados com muitos projetos que estarão neste concurso de âmbito nacional, mas estou certa que tudo fazemos para que seja grande na resposta aos objetivos que nos propusemos alcançar: sensibilizar para o impacto que as ações causam ao meio ambiente, estimulando novos hábitos e atitudes, para que através de ações práticas, ocorram mudanças de comportamento; promover a inclusão de crianças/jovens com dificuldades de aprendizagem em práticas agrícolas e florícolas, promovendo a autonomia e autoestima, desenvolvendo a capacidade de viver como cidadãos integrados.

A Hortofloricultura tem ainda como objetivo contribuir para a definição do projeto de vida de adolescentes e jovens com medidas adicionais ao abrigo do DL 54/2018, de 6 de julho (artigo 10.º, 4, alínea f).”

A candidatura ao projeto reveste-se de suma importância, uma vez que vai ao encontro dos objetivos do trabalho desenvolvido na área de Hortofloricultura. Com a participação no projeto “Tá na Horta” pretende-se incrementar cada um destes objetivos e potenciar a escola de mais recursos e apoios para a prática de atividades de desenvolvimento sustentável e ir de encontro Objetivo do Desenvolvimento Sustentável ODS 12 – Produção e Consumo Sustentáveis.

Para que isto seja facilitado era mesmo muito bom estar entre os vencedores para deste modo poder dar seguimento com maior facilidade a atividades que se estão a desenvolver e que se pretende vir a desenvolver, como a aposta na compostagem dos resíduos orgânicos da escola. Aguarda-se com expectativa pelo verdito final, sempre com a certeza de que se continuará este trabalho de forma mais profícua possível em prol dos alunos e do meio ambiente.


Gostaste desta publicação?

Deixa a tua votação! Ou se quiseres, comenta abaixo.

Média das votações 5 / 5. Vote count: 3

Ainda sem votos. Queres ser o primeiro?

Ai é?

Segue-nos nas Redes Sociais