Cuidar os mais velhos e o risco das úlceras por pressão

4.3
(6)

A aluna Salomé Ralha do 5º B colocou algumas questões ao Professor Alexandre Rodrigues, Docente de enfermagem da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro, aquando da sua intervenção numa sessão síncrona. O guião da entrevista focou o seu percurso profissional, mas o que o investigador considerou importante  deixar no Comunica refere-se à questão dos cuidados prestados a pessoas mais vulneráveis e dependentes. O alerta visa as úlceras por pressão, uma das grandes preocupações de quem cuida das pessoas mais velhas.

As úlceras por pressão são feridas geralmente localizadas na pele de uma pessoa que vive longos períodos de tempo acamadas ou sentadas. Trata-se de um dano localizado na pele e/ou nos tecidos moles, geralmente sobre uma saliência óssea ou relacionado com o uso de um dispositivo médico (sonda nasogástrica, algália, etc) ou outro objeto rígido colocado entre o corpo e a superfície onde se encontra deitado ou sentado. A lesão pode apresentar-se na pele íntegra ou como úlcera aberta e pode ser dolorosa. A lesão ocorre como resultado da pressão intensa e/ou prolongada.

As pessoas em risco de contrair estas lesões são as pessoas acamadas ou imobilizadas, pessoas com patologias múltiplas, com incontinência urinária e/ou fecal, pessoas sozinhas ou que usam dispositivos mecânicos e ainda, pessoas com défices cognitivos.

A melhor forma de evitar uma situação de úlcera por pressão é sem dúvida a prevenção.

Neste sentido, convém:

– Optar por uma alimentação completa, equilibrada e variada, rica em hidratos de carbono, gorduras, proteínas, vitaminas minerais e água. Adequadamente repartida ao longo do dia.

– Cuidar da higiene da pele, onde é fundamental que o cuidador observe e vigie as zonas das proeminências ósseas. Se existir uma zona vermelha, deverá contactar a equipa de enfermagem;

– Manter a pele seca, sobretudo em casos de incontinência urinária/fecal ou transpiração (evitar estar muito tempo com fralda suja). Aplicar produtos barreira, em caso de humidade excessiva e secar suavemente;

– A roupa de cama deve ser trocada com frequência, usar lençóis sem pregas ou botões, limpos, secos e sempre bem esticados.

– Recorrer a dispositivos de alívio de pressão como almofadas e colchões adequados, bem como camas ou sofás articulados, que promovem uma boa distribuição e alívio da pressão, mas não substituem os posicionamentos regulares;

– Os posicionamentos referem-se à alternância da posição da pessoa quando se encontra deitada ou sentada, de forma a aliviar a pressão nas zonas ósseas.

– O cuidador familiar da pessoa com risco de úlcera por pressão é uma peça muito importante na implementação destes cuidados, conjuntamente com o apoio dos profissionais de saúde da área de residência.

Porque as úlceras por pressão causam muito sofrimento e dor à própria pessoa e, por inerência, àqueles que convivem com ela, é necessário evitar que elas se desenvolvam… PREVENINDO-AS!

 

Entrevista: Cuidar de quem cuidou

4.6 (7) Cuidar dos mais velhos na primeira pessoa, não é uma missão fácil. Os cuidadores informais não são devidamente reconhecidos na sua dedicação aos [...]

Gostaste desta publicação?

Deixa a tua votação! Ou se quiseres, comenta abaixo.

Média das votações 4.3 / 5. Vote count: 6

Ainda sem votos. Queres ser o primeiro?

Ai é?

Segue-nos nas Redes Sociais

Jornalista