5
(8)


Camponeses russos no início do séc. XX

 

A Revolução Russa vista por um operário.

A vida de um operário não é fácil, mas na Rússia era muito pior. A Rússia estava numa situação bastante difícil, não eram só os operários, como eu, que não estavam bem, todos os que não fossem nobres ricos ou pessoas com poder, viviam na miséria. O Czar Nicolau II, a pessoa que mandava neste país, era mais poderoso do que se pode imaginar. Eu, para ser sincero, não gosto nem um pouco dele, não sei bem porquê, já que a Igreja Ortodoxa estava sempre a dizer que ele era bom para o país, e quando a Igreja dizia algo é porque devia ser verdade, suponha. Havia algo nele que não me agradava, mas não acho que a minha opinião servisse de muito já que ninguém me ouvia, todas estas pessoas viam o Czar como alguém demasiado importante. Às vezes, pergunto-me se o país estaria assim na miséria se outra pessoa o governasse.

A sociedade da Rússia era uma total sociedade de classes. Tinha os mais ricos, como os nobres ou o Clero, os mais pobres, o povo. Para minha surpresa e agrado, começaram a criar-se partidos políticos clandestinos, como o Partido Operário Social Democrata Russo, dividido entre os Bolcheviques (radicais) e os mencheviques (moderados) liderado por Lenine e o Partido Constitucional Democrata, liderado por Kerensky. Assim, em 1905, todas as pessoas que, como eu, acreditavam que isto estava errado, juntaram-se em frente ao palácio do Czar em São Petersburgo, para protestar contra a maneira de governar do Czar e  pediam melhores condições de vida, o fim da censura, a criação de um parlamento e uma Constituição. O Czar não teve uma boa reação e mandou fuzilá-las a todas. Este dia ficou conhecido como o Domingo Sangrento. Com este ato, a população finalmente entendeu que o Czar não fazia o bem para o nosso país.

Quando percebeu o erro que cometeu, o Czar decidiu fazer algumas mudanças para acalmar as pessoas. Fiquei um pouco confuso e sem perceber por que razão uma pessoa como ele decidiu criar um parlamento (a Duma), apesar de este ser constituído apenas por pessoas da sua confiança e prometeu criar uma Constituição, e foi a parte de isso nunca ter acontecido que não me surpreendeu. Também deu liberdade à criação de partidos políticos, mas logo a retirou depois das críticas ao seu poder e à convocação de uma greve geral.

Quando eu pensava que esta situação não podia ser pior, a Rússia entrou na Primeira Guerra Mundial. Agora sim, é que veio a total desgraça para o nosso país. Tínhamos um exército grande, mas desorganizado, esfomeado e estávamos quase sempre a perder. Era um pouco deprimente, para dizer a verdade. Morriam montes de soldados todos os dias, e se não morressem, ficavam gravemente feridos ou feitos prisioneiros das tropas inimigas. Acho que até os nossos inimigos tinham pena de nós, e eu até compreendia porque era triste todas estas derrotas e mortes. Mas não foram só os soldados que sofreram com isto tudo já que as pessoas que ficaram supostamente salvas e seguras nas suas casas com as suas vidas normais, não tinham nada para comer porque tanto o preço dos alimentos comos impostos aumentaram. Isso levou a que nós, o povo russo, nos manifestássemos e fizéssemos greves.

No meio de toda esta confusão, o Czar dissolveu a Duma acusando os deputados de corrupção. Esta sua atuação levou a que a população a fizesse mais manifestações e greves, e, sem surpreender, o Czar mandou (outra vez) fuzilar os manifestantes, mas, e isso sim foi uma surpresa para todos nós, o exército juntou-se a nós e forneceu-nos as suas armas. Assim, deu-se um golpe de Estado e o Czar foi obrigado a abdicar. Isto levou à formação de um governo provisório de inspiração burguesa, liderado por Kerensky. Este momento da história ficou chamado da Revolução de Fevereiro de 1917.

Este governo defendia os direitos individuais e a propriedade privada, mas decidiu manter a Rússia na Primeira Guerra Mundial, o que eu não gostei nada, e sei que não fui o único. Mas ele também libertou os presos e exilados políticos, e Lenine voltou para a Rússia, o que eu achei uma decisão certa. Mais tarde, em outubro do mesmo ano, Lenine apoiado por Trotsky, organizou os sovietes, grupos de soldados, operários e camponeses. Ele prometeu-nos «Paz, Pão e Terra». Ele também nos disse que ia criar uma sociedade sem classes. Para ser sincero, eu até concordei com as ideias dele, mas primeiro, achei muito difícil que isso acontecesse tão facilmente e também estava um pouco cansado de manifestações, greves e guerra, especialmente a guerra.

Algumas das medidas imediatas dos Bolcheviques foram, por exemplo, a paz imediata com a Alemanha, a retirada da Rússia da Primeira Guerra Mundial, fim da propriedade privada, toda a produção agrícola passava a pertencer ao Estado entre outras, e eu até concordei, principalmente com a que fazia com que este país saísse da Guerra, isso daria ao nosso país a oportunidade de melhorar e todos nós queríamos isso.

Tudo isto desencadeou uma guerra civil que começou no ano de 1918 e acabou em 1920. Russos Brancos liberais (democratas) contra Russos Vermelhos bolcheviques (comunistas). Eu já estava farto de guerra atrás de guerra, então fiquei contente quando finalmente chegaram os resultados e aquilo tudo acabou. Acabaram por vencer os comunistas, acho que foi bom para o país. Mas, com tudo o que aconteceu neste país, não queria ter esperanças.

Algumas das medidas do comunismo de guerra foram, por exemplo, a abolição dos partidos políticos à exceção do seu, o estabelecimento da censura, a criação de uma polícia política, a Tcheka. Ele também para terminar esta lista nada maravilhosa, decidiu que podia haver a situação de perseguição, prisão, ou mesmo morte dos seus opositores políticos, e foi assim que eu fiquei a perceber que vinha outra fase difícil, talvez ainda mais difícil do que outras. O meu país fora à desgraça. Lenine, que agora era a pessoa que mandava neste país, que todas as pessoas, até eu, achavam que ia salvar-nos, tirar-nos da pobreza, estava agora a dar um passo atrás em relação às suas medidas. Assim, criou a N.E.P., que teve como principais medidas, por exemplo, a permissão de pequenas unidades privadas de produção agrícola e industrial, foi permitida a entrada de capitais e técnicos estrangeiros para modernizar a indústria a produtividade, entre outra… e agora sim eu acho que com estas medidas pôde melhorar o nosso país.


Maria João Mendes  9º B 

Gostaste desta publicação?

Deixa a tua votação! Ou se quiseres, comenta abaixo.

Média das votações 5 / 5. Vote count: 8

Ainda sem votos. Queres ser o primeiro?

Ai é?

Segue-nos nas Redes Sociais