3.4
(5)

A Rita do 9C vestiu a pele de Aleksandr, um camponês de 80 anos para nos relatar mais uma visão dos tempos conturbados da Rússia.

Domingo sangrento – Rússia 22 de janeiro de 1905.

«A Revolução Russa vista por um camponês»

Olá eu chamo-me Aleksandr, tenho 80 anos e sou um camponês que viveu no tempo da Revolução Russa de 1917 e vim aqui contar-vos o que se passou naquele tempo.

No início do século XX, a Rússia era governada pelo Czar Nicolau II, que impunha um regime autocrático, muito semelhante ao absolutismo do Antigo Regime. A família imperial russa detinha o apoio do exército, do clero e da nobreza, que dividiam entre si as terras e os cargos administrativos. Para terem uma noção, o território russo era muito extenso e composto por uma população de cerca de 170 milhões de habitantes, divididos entre vários povos e etnias; os camponeses que constituíam cerca de 80% da população, não possuíam terras e pagavam pesados impostos aos seus proprietários e com isto eu, que sou camponês, vivia muito mal porque o dinheiro que recebia só dava para pagar os impostos, o que prejudicava também a vida da minha esposa e principalmente dos meus filhos que estavam a crescer. Nas cidades, o operariado estava sujeito a muitas horas de trabalho diário e os salários eram muito baixos, basicamente o ambiente social era muito tenso.

A economia baseava-se numa agricultura praticada com métodos artesanais e com pouca produtividade, a indústria estava muito pouco desenvolvida e dependia de técnicos e capitais estrangeiros, que apostavam na Rússia para explorar as suas riquezas e a mão-de-obra barata.

Em 1898 formaram-se partidos políticos clandestinos, como o Partido Operário Social Democrata Russo dividido por Bolcheviques (radicais) e Mencheviques (moderados), este último liderado por Lenine defendia proletarização da Sociedade e o fim das classes sociais. Em 1903 formou-se o Partido Constitucional Democrata que pretendia instaurar um regime parlamentar à semelhança da Europa Ocidental (igual a uma Democracia) liderado por Kerensky.

Eu, como camponês, apoiava o partido liderado por Lenine, pois dava-nos melhores condições de vida e não iria haver diferenças entre classes, logo iriamos ser todos tratados por igual maneira.

Em 1905, num dia muito ventoso, aconteceu o Domingo Sangrento, assim chamado porque centenas de pessoas foram fuziladas em frente ao palácio do Czar, pois nós fomos lá pedir melhores condições de vida, o fim da censura e também a criação de um parlamento e de uma Constituição. O Czar reparou que a população tinha ficado muto revoltada e então criou um parlamento, a Duma, mas com pessoas da sua confiança e prometeu criar uma Constituição, mas nunca o veio a fazer. Também deu a liberdade à criação de partidos políticos, oportunidade que logo Lenine aproveitou para sair à rua e começar por provocar grandes revoltas –  quando o Czar se apercebeu disso, retirou a liberdade de expressão aos partidos e foi atrás de Lenine para o matar, mas este conseguiu fugir.

Como a Rússia estava num época muito má, para piorar ainda mais as coisas em 1914 entrou na 1ª Guerra Mundial contra a Alemanha e o Império Austro-Húngaro. Os soldados andavam pelas aldeias a procurar pessoas para ir para a guerra, eu fui um dos escolhidos para ir lutar, eramos um exército mal organizado, estavamos todos esfomeados, muitos soldados que eram meus amigos foram mortos, feridos e feitos prisioneiros. Grande parte da Rússia Ocidental estava ocupada pelas tropas inimigas e havia militares desertores que iam para as cidades engrossar o número crescente de desempregados. Eu, para não morrer, fugi da guerra.

Cheguei à Rússia e reparei que havia falta de alimentos, o aumento de impostos e dos preços dos produtos provocaram muitas revoltas em S. Petersburgo para pedirem pão, reparei também que o czar tinha dissolvido a Duma e tinha acusado os deputados de corruptos, cada dia que passava havia cada vez mais revoltas e greves em S. Petersburgo. O Czar já tinha ordenado aos soldados para disparar sobre a população, mas o exército colocou-se ao lado dos revoltosos e forneceu-lhes armas. Isso tudo deu origem a um golpe do Estado e obrigou o czar a abdicar e à sua saída como Imperador da Rússia.

Após esta revolta, formou-se rapidamente um governo provisório de inspiração burguesa liderado por Kerensky. Eles agora tinham o poder, por isso tomaram medidas para a Rússia, uma delas foi instituir um governo democrático/liberal parlamentar na Rússia, que defendia os direitos individuais e propriedade privada, mas defendia também que a Rússia devia continuar na 1ª Guerra Mundial, não esquecendo que também tinha dado amnistia aos presos políticos e exilados políticos, portanto, Lenine podia regressar à Rússia. Assim, ficou conhecida como Revolução de Fevereiro de 1917 (Revolução Burguesa).

Lenine mal soube da notícia voltou para a Rússia com a ajuda da Alemanha, apoiado por Trotsky que ia organizar os sovietes, grupos constituídos por soldados, operários e camponeses e eu era um deles. A primeira coisa que ele disse quando chegou à Rússia foi prometer «paz, pão e terras», organizou uma revolta em Petersburgo conseguiu prender os ministros do governo provisório e dissolveu a Duma. Prometeu criar uma sociedade sem classes, optou pela doutrina Marxista, uma ditadura do proletariado para implantar o comunismo.

Pôs então em prática várias medidas, uma delas a paz imediata com a Alemanha onde foi assinado o Tratado de Brest-Litovsk, retirou-se da 1ª Guerra Mundial; pôs fim à propriedade privada por exemplo as fábricas, terras e minas isso tudo foi nacionalizado sem pagamento e indeminizações aos seus proprietários, toda a produção agrícola pertencia ao Estado, menos a que se destinasse a consumo próprio e nacionalizou a banca e comércio externo. Este período histórico ficou conhecido de Revolução de Outubro de 1917 (Revolução Bolcheviques).

Em 1918/1920 ocorreu a Guerra Civil onde houve uma luta entre os Russos Brancos que eram defensores do Antigo Regime. Tínhamos alguns países que apoiavam os Russos Brancos como por exemplo a França, Reino Unido e EUA que receavam que estas ideias revolucionárias se espalhassem. Quem ganhou essa guerra civil foram os Russos Vermelhos. Durante a guerra o Lenine tomou medidas drásticas, optou pela abolição dos partidos políticos à exceção do Partido Comunista Bolchevique, estabeleceu a censura, criou uma política chamada a Tcheka e permitiu a perseguição, prisão, tontura e morte dos opositores políticos.

A Rússia caiu na miséria e Lenine teve de recuar nas medidas implementadas durante a guerra civil (o Comunismo de Guerra). Então, tomou novas medidas que foram muito boas para nós, foram permitidas pequenas unidades privadas de produção agrícola e industrial até 10 operários, foi estabelecida alguma liberdade de comércio interno, como por exemplo venda livre de produtos agrícolas nos mercados e foi permitida a entrada de capitais e técnicos estrangeiros para modernizar a indústria e aumentar a produtividade, estas medidas ficaram chamadas de NEP (Nova Política Económica).

A Doutrina Comunista foi muito boa para nós agricultores, porque melhorou as nossas condições de vida, era uma sociedade sem classes, temos uma boa produtividade e a propriedade coletiva dos bens.

 

Rita Lourenço Martins  – 9ºC

Gostaste desta publicação?

Deixa a tua votação! Ou se quiseres, comenta abaixo.

Média das votações 3.4 / 5. Vote count: 5

Ainda sem votos. Queres ser o primeiro?

Ai é?

Segue-nos nas Redes Sociais